domingo, 8 de julho de 2012

                                     PRÓ-LETRAMENTO
           LINGUAGEM E ALFABETIZAÇÃO e MATEMÁTICA

 Aula inaugural: 10/07- Linguagem e Alfabetização
                                      Tutora: Elizângela Rigueira
                          11/07- Matemática
                                       Tutora: Monique Sampaio
 Na Casa do Educador, às 18 horas.

domingo, 17 de junho de 2012

PSICOGÊNESE DA LÍNGUA ESCRITA - ATIVIDADES
Dando continuidade ao nosso estudo sobre psicogênese da língua escrita, seguem algumas atividades favoráveis às seguintes hipóteses:
HIPÓTESE PRÉ -SILÁBICA
ATIVIDADES:
·         Desenhar e escrever o que desenhou;
·        Usar,reconhcer e ler o nome em situações significativas: chamada, marcar atividades, objetos,utilizá-lo em jogos, bilhetes etc;
·        Ter contato com diferentes portadores de textos;
·        Frequentar a biblioteca, banca de jornais etc;
·        Conversar sobre a função da escrita;
·        Utilizar letras móveis para pesquisar nomes, reproduzir o próprio nome ou dos amigos;
·        Bingo de letras;
·        Produção oral de histórias;
·        Escrita espontânea;
·        Textos coletivos tendo o professor como escriba;
·        Aumentar o repertório de letras;
·        Leitura de nomes das crianças da classe, quando isto for significativo;
·        Comparar e relacionar palavras;
·        Produzir textos de forma não convencional;
·        Identificar personagens conhecidos a partir de seus nomes ou escrever seus nomes de acordo com sua possibilidade;
·        Recitar textos memorizados: parlendas, poemas, músicas,etc;
·        Atividade em que seja preciso reconhecer e completar a letra inicial e a letra final;
·        Escritas de listas em  que isto tenha significado: Listar o que usamos na hora do lanche, o que tem numa festa de aniversário,etc;
HIPÓTESE SILÁBICA 
·        Todas as atividades do nível anterior;
·        Comparar e relacionar escritas de palavras diversas;
·        Escrever pequenos textos memorizados: ( parlendas, poemas, músicas, trava-línguas...);
·        Completar palavras com letras para evidenciar seu som: camelo:  c_ m_  l_  ou  _ a _e_o;
·        Relacionar personagens a partir do nome escrito;
·        Relacionar figuras às palavras, através do reconhecimento da letra inicial,
·        Ter contato com a escrita convencional em atividades significativas: reconhecer letras em um pequeno texto conhecido;
·        Leitura de textos conhecidos;
·        Relacionar textos memorizados com sua grafia;
·        Cruzadinha;
·        Caça-palavras
·        Completar lacunas em textos e palavras;
·        Construir um dicionário ilustrado, desde que o tema seja significativo;
·        Evidenciar rimas entre as palavras;
·        Usar o alfabeto móvel para escritas significativas;
·        Jogos variados para associar o desenho e seu nome;
·        Colocar letras em ordem alfabética;
·        Contar a quantidade de palavras de uma frase;
SILÁBICO ALFABÉTICO 
·        As mesmas do nível anterior;
·        Separar as palavras de um texto memorizado;
·        Generalizar os conhecimentos para escrever palavras que não conhece: associar o GA do nome da GABRIELA para escrever garota, gaveta...;
·        Ditado de palavras conhecidas;
·        Produzir pequenos textos;
·        Reescrever histórias;
ALFABÉTICO
·        Todas as anteriores;
·        Leituras diversas;
·        Escrita de listas de palavras que apresentem as mesmas regularidades ortográficas em momentos em que isto seja significativo;
·        Atividades a partir de um texto; leitura, localização de palavras ou frases, ordenar o texto;
·        Jogos diversos com bingo de letras e palavras, forca...


 

Sugestões para trabalhar com músicas na sala de aula:

ü  A professora fará a leitura do texto num cartaz;
ü  Chamar alguns alunos para identificarem palavras no texto ( os alunos poderão laçar ou pintar as palavras encontradas). A professora dita as palavras que serão localizadas pelos alunos.
ü  Contar as letras das palavras encontradas;
ü  Observar se há repetição de letras;
ü  Pedir a alguns alunos para pintarem, no cartaz, os espaços entre as palavras.

Trabalhe com músicas fatiadas:






             Não vamos ficar de fora!!!   Multiplique esta ideia e pratique!
                                RIO + 20
         Preparando um ambiente alfabetizador
Professores de 1º ano prepara um ambiente alfabetizador para a aprendizagem tem significado para o aluno.






Parabenizamos as professoras, das Escolas Municipais Dulce Jotta, Flonete e Elízio Ignácio Rangel.
A MÚSICA COMO PARTE INTEGRANTE DO CURRÍCULO ESCOLAR

Quem não gosta de ouvir uma boa música? Desde quando nascemos, ouvimos cantigas de ninar.
Crescemos... ouvimos cantigas de roda...
Música sempre música... Alegra as festas... Faz parte das comemorações e eventos... Exalta a entrada da noiva em seu casamento...Ahh!!! Música sempre música.... Embala casais apaixonados!!!! Está presente nas tramas, nas comédias, nos dramas... mas sempre está presente.
A música é matemática... tem rítmos, harmonia, melodia....
Torna a vida mais feliz!!!!
Faz passar o tempo nos ônibus, nas viagens... Toca a alma e fala ao coração.

Podemos pensar a música, como uma forma feliz de alfabetizar. 

Qual criança que não gosta de uma cantiga de roda? Qual criança que não gosta de uma música alegre????

Pois bem, eis uma oportunidade de aprender a ler de forma divertida!

Essa situação de aprendizagem, está inserida no Projeto Ler e Escrever, onde através de cantigas e parlendas a criança faz o ajuste do que se canta ao que está escrito.
Trabalhamos de maneira divertida, onde a prioridade é deixar a criança analisar e  refletir a cerca da construção da palavra que está escrita.

O professor como mediador, dará as pistas da construção da palavra.
     
          Ex: Borboletinha tá na cozinha
      
       Quantas letras tem borboletinha?
       Com que letra começa?
       Com que letra termina?
       A letra B é vogal ou consoante?
       Vamos circular somente onde aparece a palavra borboletinha?
       Vamos cantar e circular ok?

Esse é somente um exemplo entre tantas outras possibilidades de alfabetização musical.
III Encontro de Professores Alfabetizadores
      20 de junho, na Casa do Educador

sexta-feira, 9 de março de 2012

Vídeo- O Menino que aprendeu a ver- Ruth Rocha

Preparando um Ambiente Alfabetizador Significativo

    Quando o aluno contribui para um ambiente mais prazeroso e estimulante, ele mesmo passa a cuidar e se interessar pelo espaço construído.
     Prepare junto com a turma uma sala bem aconchegante, onde o aprendizado aconteça de uma forma significativa e dinâmica.
 

Alfabeto confeccionado com massinha
pelos alunos da tia Beatriz.
E. M. Profº Carolina Nazareth

Painel de numerais e quantidades feito pelos alunos da
tia Maria da Conceição.
E. M. Profº Carolina Nazareth

Parabéns tia Maria e tia Bia, pelo excelente trabalho desenvolvido!
(Professora Maria da Conceição)
E. M. Profº Carolina Nazareth
Cartaz com os combinados feitos com a turma.


  

Preparando um Ambiente Alfabetizador Significativo

video

Músicas de Boas Vindas


Olha para o lado,
Olha para o outro,
veja se conhece
todo mundo por aqui.
Olhe para atrás
Olhe para frente
De uma rodadinha
E faça um gesto de amor
Dê um abraço no amigo
Cumprimente o seu colega
Desejando que ele seja seu amigo...
Olhe para um lado
Olhe para o outro
Agora já conhece
Todo mundo por aqui.

Que bom que você veio
Que saudade de você
É hora do abraço
Como eu gosto de você
Que bom que você veio
Que saudade de você
É hora do abraço
Eu quero upa pra valer
É hora do abraço
Eu quero upa pra valer
Upa !!!



Hoje é um dia lindo
Me sinto contente
Hoje é um dia lindo
Me sinto contente
Levanto e salto
Meia volta e sento
Levanto e salto
Meia volta e sento
Mas se andarmos juntos
Se andarmos juntos
Andarmos juntos
Amigos seremos
Amigos seremos
Pois o meu amigo
É o teu amigo
E  o teu amigo
É amigo meu
Pois...

domingo, 29 de janeiro de 2012

Sugestões de Atividades

As Dinâmicas de Integração

Excelentes para os primeiros dias de aula e têm como objetivo:
- que os participantes se apresentem;
- que memorizem os respectivos nomes;
- que iniciem um relacionamento amistoso;
- que se desfaçam as inibições;
- que falem de suas expectativas.
1) Eu sou... e você, quem é?
Formar uma roda, tomando o cuidado de verificar se todas as pessoas estão sendo vistas pelos demais colegas. Combinar com o grupo para que lado a roda irá girar. O educador inicia a atividade se apresentando e passa para outro. Por exemplo: "Eu sou João, e você, quem é?" "Eu sou Márcia, e você, quem é?" "Eu sou Lívia, e você quem é?"
A dinâmica pode ser feita com o grupo sentado sem a roda girar.
2) Apresentante:
Material Necessário: Objetos diversos (xale, óculos, chapéu, colares etc.)Propor aos participantes apresentarem-se, individualmente, de forma criativa. Deverá ser oferecido todo tipo de objetos para que eles possam criar dentro da vontade de cada um.
3) Alô, alô!
Formar uma grande roda com todos os participantes e pedir que cada um se apresente de forma cantada com a seguinte frase: "Sou eu fulano, que vim para ficar; sou eu, fulano, que vim participar." É importante que cada um fale o seu nome, pois este simples exercício trabalha a auto-estima.
4) Procurando um coração...
Material Necessário: Corações de cartolina cortados em duas partes de forma que uma delas se encaixe na outra. Cada coração só poderá encaixar em uma única metade.
Distribuir os corações já divididos de forma aleatória. Informar que ao ouvirem uma música caminharão pela sala em busca de seu par. Quando todos encontrarem seus pares, o educador irá parar a música e orientar para que os participantes conversem.
5) Abraçando amigos
Formar uma grande roda. Colocar bem baixinho uma música agradável. Informar que o grupo deverá estar atento à ordem dada para executá-la atentamente. Exemplo: "Abraço de três" e todos começam a se abraçar em grupo de três; "abraço de cinco", "abraço de um", "abraço de todo mundo." É importante que o educador esteja atento para que todos participem.
6) Quando estiver...

Com o grupo em círculo, o primeiro a participar começa com uma frase.
Exemplo: "Durante minhas férias irei para a praia..".
O segundo continua: "Quando estiver na praia farei um passeio de barco. O seguinte dirá: "Quando estiver no barco, irei..."

7) Apresentação

Propor a criação coletiva de uma história incluindo o nome de todos os participantes do grupo. Durante a narrativa, quando o nome de um participante for pronunciado, ele deve levantar-se, fazer um gesto e sentar-se de novo.

Começando com a corda toda... Agenda da SEMED

01/02 > Apresentação dos Professores nas Unidades Escolares
02/02 e 03/02 > Palestras
06 a 10/02 > Planejamento
08/02 > 1º ENCONTRO DE PROFESSORES ALFABETIZADORES - 
E. M. Maria Celeste de Campos

Feliz 2012


                  Alfabetizar é ir além de ler e escrever


    É de pequena que a criança desenvolve a curiosidade em saber ler e escrever, tornando a pergunta: “lê pra mim?” famosa. E é com alegria que pais e professores acompanham os primeiros passos à escrita – reconhecendo letras, palavras e formação de frases. O processo de alfabetização da criança começa exatamente neste período e tem sua continuidade com a chegada do ano escolar.

   
No entanto, é preciso ressaltar que alfabetizar vai muito além da decodificação de letras, ou seja, do usual aprender a ler e escrever. É função do professor usar a metodologia da Língua Portuguesa no processo da alfabetização, orientando o aluno ao uso da escrita e leitura de modo interpretativo, para que seja possível à criança não só ler e escrever, mas compreender o que foi lido e saber fazer uso da palavra.

A este processo dá-se o nome de letramento. Ler, compreender o conteúdo, interpretar e poder discutir o tema são características de um aluno letrado. “Ao assumir estas peculiaridades, educador e aluno entram num processo interdisciplinar, no qual a criança compreende que o que aprende nas aulas de Língua Portuguesa pode e deve ser usado em outras disciplinas, ou seja, ela não vai simplesmente decorar uma passagem de História ou nomes de Geografia, mas sim, entender cada fato e interagir com o conteúdo”, explica o educador e doutorando em Educação e Linguagem pela Universidade de São Paulo (USP), José Luís Landeira.

     Ao escolher a escola, é fundamental que os pais se atenham à preocupação de como é feita a alfabetização dos alunos. Segundo Landeira, que há 8 anos trabalha com formação de professores, uma boa escola é aquela que se atém na criação e preparação do conteúdo das aulas, valorizando o discurso dos alunos, explorando a criatividade e auxiliando nas expressões oral e escrita. “É preciso saber como a escola prepara o aluno para a alfabetização. É importante conhecer como é feito o uso da biblioteca e como são as aulas”, completa o educador. Atividades devidamente contextualizadas de escrita que levem o aluno a pensar sobre determinadas situações com as quais convive no dia-a-dia e a refletir para se expressar é um exemplo de aula planejada.

Exatamente por causa da falta de integração das disciplinas, é comum ouvir as crianças dizendo que gostam mais de uma ou outra matéria, fazendo uso de uma atitude compartimentada. E geralmente, ela gosta daquela em que tira as melhores notas. Respeitando as individualidades de cada um, às vezes este “não gostar” de alguma disciplina está relacionado à não compreensão do conteúdo.

     Landeira afirma que as escolas estão se empenhando neste processo de integração com professores que se preparam cada vez mais. “Professor que consome leitura e faz uso da escrita é professor que pensa, constrói raciocínio e sabe defendê-los”, finaliza o educador. Por isso, é fundamental que papais e mamães incentivem a leitura de suas crianças e continuem respondendo afirmativamente à questão: “lê pra mim?”.